Bacia do ribeirão Juatuba e reservatório Serra Azul

A Bacia do ribeirão Juatuba está localizada na porção oeste da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), abrangendo parcialmente os municípios de Mateus Leme (50% da área do município), Igarapé (64% da área do município) e Juatuba (5% da área do município) (Figura 1). A bacia hidrográfica contribuinte ao reservatório de Serra Azul é de aproximadamente 263 km². Ela conta com uma extensa rede de monitoramento, contando com séries temporais de aproximadamente 40 anos.

O enquadramento de águas da bacia do Rio Paraopeba classifica a bacia do ribeirão Juatuba com exutório na barragem de Serra Azul em Classe 1, portando de grande importância hídrica. Essa classificação pressupõe um modelo de ocupação de baixo impacto e restrição de usos permitidos de forma a garantir a qualidade das águas.

Aproximadamente 87% da área da bacia foi classificada como uma zona de interesse metropolitano dentro do Plano Metropolitano da RMBH (2015), tendo sido esse enquadramento justificado devido às pressões em termos de uso e ocupação do solo a bacia e sua importância prioritária para fins de abastecimento de água para a RMBH. Essa porcentagem se justifica devido ao fato de que ela representa a área da bacia que se localiza dentro do perímetro da Região Metropolitana (229 km²). Essa classificação implica que as áreas de drenagem a montante dos pontos de captação serão alvo de regulação quanto ao uso e ocupação do solo, afim de se harmonizar e dar coerência ao emprego de instrumentos normativos e econômicos e à formulação e implantação de políticas e programas com fins de proteção ambiental a esse território.

Percebem-se, na área, impactos das atividades agrícolas na região e dos transbordamentos da expansão industrial ao longo das Rodovias BR-262 e MG-050, assim como da BR-381. Além disso, a previsão de quatro novos empreendimentos do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) FAR na região demonstram a necessidade de um maior controle no uso e ocupação do solo, visando a preservação desse manancial. A área possui também relevância econômica, em razão da produção agrícola nos municípios que a concerne, importante para o abastecimento de hortaliças para a RMBH (UFMG, P3, 2014). Há um conflito entre a produção agrícola por técnicas convencionais, com intenso uso de produtos agrotóxicos e fertilizantes, que por lixiviação e transporte podem atingir os cursos d’água e o reservatório de Serra Azul, oferecendo um potencial risco de eutrofização e de contaminação do lago.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *